sexta-feira, 15 de julho de 2011

GASTRONONIA NO CONCELHO de GAVIÃO

Começa hoje mais uma Gastronomia e Actividades Económicas na Vila do Gavião.

Vai este concelho durante três dias vestir o seu fato domingueiro. Que a honra a ela se faça sempre ao dente. Ao paladar lá gustativo. Não se lhe conhece a ementa e o manjar. O licor dos Deuses. Cardápio não lhe é mostrado. Que diz que é tradição..

Traz o José Cid a Cantar "Cai neve em Nova York" e no Gavião e no Alentejo, cai uma tempestade de areia. Com o vento da zona do Suão...

Que lá em espaço seu não deixa de ser tudo lá bem arranjado e lá muito bem tudo arrumado.

Se lhe continua a dar só o barulho e algazarra, que os nativos, a plebe local se quer saciada e não se quer que ela seja lá muita pensada...

Empresas que participam na graciosa 

Imprensa
Turismo do Alentejo
Editora Ramiro Leão
ADN/Etaproni
Grupo de jovens da Paróquia
Centro Social Belverense
Marçal Alves - APIC. Biológica
Vinhos Quinta dos Garfos
Ilex Vinhos, Lda
Clube Gavionense
Brindart
Gravilha e Abreu, Lda
Casa das T-Shirts
Santa Casa da Misericórdia de Gavião
A ladeira - Pub
Município de Gavião
Telhas e Madeiras
Guiso e Criações
Gabinete de Acção Social
Pizzaria - Café Alentejana
Maria do Carmo Infante
P I S  Alimenta
O S  M
Vale do Mestre
Alexandra Lisboa
Acidália
Casa das Botas
Artes e saberes - Gavião
Tricots "O novelo"
Pequenos Presentes
Montes das Cores
Arte e Visual
Bijutaria criativa
Maria Minda Antunes
Landoka Artesanato
Município de Abrantes
Olaria Jeremias - Redondo
Paula Marques - Portalegre
Fernando Jesus de Sousa
José Carreira - Valongo - Avis
Elixart Artesanato
Tecelinho
Agostinho Godinho
António castanho - Portalegre
João Barradas
Pinturas da rita  

Não se lhe pode ainda dizer, do dois mil já passou.

Ainda não foi o fim do mundo.

A ditosa, este ano, ela faz uma travagem mesmo muita brusca.

Trava mesmo muita  lá a fundo.
Perdeu a velocidade. Em câmara lenta entra numa real nacional que não lá que megalómana. 

Continua a custar - não sabeis como dói tanto - de ver este espaço e certame, realizado neste concelho, é menos de metade de um terço das empresas existentes, não participar neste evento.

A coisa não consegue mudar.

Nem as Juntas de Freguesia se fazem representar.
Nem as Associações culturais lhe dizem o presente.

Que poder político continua também a não inovar. Ao menos, podia .fazer uma exposição fotográfica no Cine-Teatro sobre o seu concelho.

Mas estas festas servem para que?

A pergunta lhe fica e a deixa ao mundo.

Que se lhe deia a ela pois lá o tinto ou lá o branco. Que viva lá o Baco. Ou lá um faz de conta o sonho ou lá a ilusão...

Não se aprende.

Mas estas festas servem para que?
Esta festa serve para que?

Fogo...

Não consegue mesmo fazer a diferença.

Não consegue ainda criar uma imagem única.

Uma sensação para quem tenha prazer e o desejo em voltar e sabe que é diferente e não se encontra em mais nenhum lugar...


Jordano`s  in Http://escritonogavião.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário