domingo, 10 de julho de 2011

A VILA DE TOLOSA TEM CRUZEIRO

Postagem não completa. Falta apenas cinquenta palavras não mais. Não teve tempo. O jornal "o Distrito de Portalegre" não permite que se tire fotocópias. Tem um espaço de um metro por cinquenta. Mais ou menos... A fotocopiadora não lhe faz o devido serviço merecido. Que importa. Vamos a isto meus caros...

"Tolosa que nos últimos anos tem progredido apreciàvelmente, não podia ficar indiferente ao brado vibrante do Sr. P.e Moreira das Neves, o laureado Jornalista-Poeta.
E assim, os organismos locais da Acção Católica (JOC e JACF) abriram a uma subscrição pública para a erecção do Cruzeiro da Independência no Largo. Junto da Matriz.
No plinto, lê-se, entre outras, esta inscrição: "Aos Heróis da Pátria Cristã, os Organismos de Acção Católica Tolosa 1940". E vê-se o Escudo Nacional (actual).
Cerca das 15 horas do dia de Natal, eram recebidos à entrada da freguesia, com música e foguetes, os Srs. P.e Sebastião Martins Alves, digno Arcipreste e dr. José Rasquilho de barros, ilustre presidente da Comissão Concelhia da União Nacional, com representação do Sr. Administrador do concelho.

Acompanhavam-nos os distintos tolosenses Srs. drs. João e Carlos Telo Gonçalves. Organizou-se em seguida o cortejo. descerrada a Cruz, que a Bandeira Nacional envolvida, pelo Sr. Dr. R. de Barros - o Rev.do Pároco, Sr. P.e Fernando Proença saraiva, benzeu solenemente o Cruzeiro.
Constituida a Mesa, iniciou-se a sessão solene a que presidiu o Sr. Dr. Barros, secretariado pelo Rev.do Sr. Arcipreste que discursavam, e pelo Srs. Prof. Álvaro da Luz Biscaia e José António Brás, pela Junta da Paróquia. Usaram também da palavra os Srs P.e Fernando Saraiva, e Prof. Baptista Camilo.
A Filarmónica de Tolosa associou-se à solenidade tendo tocado o Hino Nacional e o da restauração. Ouviram-se calorosas vivas ao Cristo-Rei, à Santa Igreja, à Pátria, a Carmona e Salazar, etc., enquanto os foguetes estralejavam.
Os organismos de A.C. e as crianças das escolas declamavam o côro Falado Cruzeiros de Portugal, que foi muito aplaudido, e a menina Maria Lurdes Enes de Oliveira uma poesia..." E assim no referido jornal, 8 de Março de 1941.

Como eram aqueles tempos. Agora a coisa, ela já não lhe coloca a banda e lhe dá o foguete...


Jordano´s   in http://tolosablog.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário